Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Aniversário do Musicbox… B Fachada canta Zeca Afonso, First Breath after Coma, Electric Rainbow e muito mais...

O Musicbox celebra o seu 11º aniversário de 7 a 9 de Dezembro. Durante 3 dias, o clube recebe uma programação especial com actuações protagonizadas pela produção musical lusófona

23517922_10156239078572662_8703338110616894726_n

No dia 7 de Dezembro, Mr. Gallini, alter-ego de Bruno Monteiro (Stone Dead), o quarteto de punk rock lo-fi Veenho, First Breath After Coma e o projecto electro-pop de um homem só, Iguana Garcia, estreiam as celebrações deste aniversário numa sessão de entrada livre.  

 

Na sexta-feira, 8 de Dezembro, B Fachada canta Zeca Afonso, invariável influência no cantautor. Neste espectáculo que celebra os 30 anos da morte de José Afonso, B Fachada dá nova roupagem ao repertório do cantautor de intervenção. 

 

Da música de intervenção portuguesa passamos para a música de intervenção cabo-verdiana com as actuações de Julinho da Concertina, lenda viva do funaná a viver há mais de 40 anos em Portugal e CelesteMariposa, projecto inspirado nos Bailes Africanos oriundos das ex-colónias portuguesas. 

 

No último dia de celebrações, 9 de Dezembro, a banda de rock das Caldas da Rainha Cave Story e Duquesa, alter-ego de Nuno Rodrigues dos Glockenwise, juntam-se em palco numa actuação conjunta onde interpretam temas dos dois grupos. A noite encerra com a estreia de Electric Rainbow, colectivo de músicos e DJs internacionais interessado em dar a conhecer uma selecção ecléctica e colorida de música que funde a electrificação com o tradicional oriunda de vários pontos do mundo. Nesta festa de lançamento, Electric Rainbow convidaram DJ Rythme de Vie, fundador da loja Bongo Joe. 

 

Ao longo destes 11 anos, o MUSICBOX tem vindo a fortalecer a sua filosofia de actuação que privilegia uma programação eclética, por onde já passaram mais de 2000 artistas nacionais e internacionais, mantendo um papel activo em diversos projectos europeus que dão destaque ao circuito destes artistas.  

 

A Galeria Zé dos Bois encerra 2017 com...

Depois de um Outubro recheado a Galeria Zé dos Bois apresenta agora a sua programação até ao fim de 2017. Destaques para Avey Tare (Animal Collective), que actua no próximo dia 21 de Novembro, na Igreja St. George (à Estrela). O seu último álbum, “Eucalyptus” encontra o músico num espaço mental mais luminoso e revela um processo intuitivo onde a voz e as palavras ilusórias de Avey Tare se enredam num caleidoscópio de guitarras acústicas, coros etéreos, percussões rasteiras, lap steel, colagens oníricas, orquestrações dolentes e demais arranjos fantasma.

610eec56-86b8-4890-a7ea-ebf97f2c916e

Dois dias depois, Thurston Moore Group, formação rock que inclui James Sedwards, Debbie Googe e Steve Shelley actuam no Lux Frágil. O universo da pop e rock foi sempre prezado pelos Sonic Youth, e esse laço fulgura com grandeza sábia em “Rock n Roll Consciousness” (2017) o mais recente álbum de Thurston Moore. Um homem que canta ainda a promessa da utopia que a música popular do século XX nos deixou.

 

Segue-se ainda KETU no dia 29, super grupo que inclui Alex Zhang Hungtai (ex- Dirty Beaches), David Maranha, Gabriel Ferrandini e Pedro Sousa; e Forest Swords dia 30, o produtor britânico volta a fintar expectativas com o último álbum “Compassion”. Um lugar imaginoso, ora lunar, ora oceânico, capaz de transportar várias e invulgares linguagens numa só. Dezembro inicia-se com outro milagre: “A Frame my Love, a Frequency”. Colleen volta a surpreender e a arrepiar, condensando alguma da mais bela musica deste 2017 e apresentando-a no Aquário na noite de 7 de Dezembro.

 

Surpresa agora anunciada, Thor & Friends, colectivo cuja música se confunde com as ideias de meditação, silêncio, delicadeza ou pudor. Thor Harris, então percussionista dos Swans, atraiu a companhia de Peggy Ghorbani e Sarah “Goat” Gautier. Melodias, ritmos, pequenas composições, sons contínuos foram surgindo do trabalho colaborativo do trio que rapidamente se viria a transformar num colectivo mais informal. Jeremy Barnes e Heather Troost (dos Hawk and the Hacksaw) e John Dietrich (dos Deerhoof), entre outros músicos, foram trazendo os seus contributos, partilhando com Thor Harrris, o mesmo gosto pelo minimalismo de Philip Glass, Steve Reich ou Terry Riley.

 

2018 termina com data dupla de Sean Rilley and The Slowriders, 15 e 16 de Dezembro, sendo que já só existem bilhetes para o último; e dia 21 A Cafetra Apresenta Um Outro Espectáculo de Natal na ZDB.

As Canções Do Punk… Killimanjaro + Stone Dead

Durante todo o ano, a Antena 3 recuperou  As Canções do Punk, alguns dos temas incontornáveis que marcaram o movimento, desde os primórdios na Inglaterra, com os Sex Pistols ou The Clash, voando até aos Estados Unidos, com os The Stooges, Ramones ou Dead Kennedys, passando pelos portugueses Tédio Boys, Censurados ou Peste e Sida.

40anospunk_hardclub_instagram

No final do ano, a Antena 3 e a Lovers & Lollypops apresentam As Canções do Punk ao vivo. Killimanjaro e Stone Dead juntam-se em palco para dois concertos, no Porto e em Lisboa, com um alinhamento de luxo percorrendo os 40 anos do movimento punk.

 

14 de dezembro 2017 | 21.30h - Hard Club (Porto)

21 de dezembro 2017 | 21.30h - Musicbox (Lisboa)

Há Fado no Cais com Gonçalo Salgueiro

Sombras e Fado” é o espetáculo de apresentação e o título do mais recente disco de Gonçalo Salgueiro. Dia 17 de Novembro sobe ao palco do grande auditório do Centro Cultural de Belém.

21433117_10155810373489078_8619092356969068942_n

Uma voz única e incomparável, Gonçalo Salgueiro revela neste concerto sobretudo o seu lado de autor, assinando a maior parte das letras que canta. É um espetáculo que revisita alguns temas da sua discografia anterior e outros que recriou e que o tornaram popular junto do grande público. Contará com a presença de convidados relevantes no seu percurso artístico e reserva a todos algumas surpresas...

 

Convidados: Lenita Gentil, Luisa Rocha, Lino Ramos, André Baptista

MIMICAT ao vivo este sábado no TAGV em Coimbra

Depois do lançamento do seu novo álbum, "Back In Town", MIMICAT prepara-se para apresentá-lo ao vivo no Teatro Académico Gil Vicente em Coimbra no próximo dia 18 de Novembro. Um concerto intimista onde apresenta temas como "Fire" e "Going Down" e onde também regressa ao seu primeiro álbum "For You". 

c48a4d26-1154-480b-ab51-eef3bdeddfe0

"Back In Town" marca uma viragem na carreira da artista, agora com uma imagem e sonoridade mais Pop e versátil. Este disco é sobre autoconfiança e autoconhecimento. MIMICAT é agora mais segura, enquanto mulher e enquanto artista, tendo passado por um processo de transformação interior e exterior também.

“Back in Town” é fresco, forte e moderno. Um disco Pop recheado de canções onde se cruzam a alma e carisma inconfundíveis da artista com as influências da música negra  Soul,  Hip-Hop e R&B, tanto na composição e melodias como na produção instrumental, com baladas minimais como “Lord”, temas grandiosos como “Nobody Knows” ou o atrevimento obscuro de “Cold Feet”.

23 Milhas apresenta LEME - Novo festival de Circo Contemporâneo em Ílhavo

E se o circo não tivesse limites, mas coubesse em todo o lado?

O LEME - Festival de Circo Contemporâneo e Criação Artística em Espaços Não Convencionais, é apresentado no dia 2 de dezembro, repete-se todos os anos, em dezembro, e dirige Ílhavo numa proposta artística inovadora e arrojada, que explora as linguagens do circo contemporâneo e da criação artística para espaços não convencionais.

leme2

Este festival de inverno, organizado pelo 23 Milhas, projeto cultural do Município de Ílhavo e pela Bússola, organização de desenvolvimento de projetos culturais e artísticos, reinventa o circo contemporâneo em espaços fechados, numa proposta de transfiguração ativa do habitual olhar do espaço cultural dos nossos tempos, abrindo portas a novas perspetivas artísticas, com foco na multidisciplinaridade e na diferença.

 

De Ílhavo para todo o lado. Além de ser um ponto de encontro para todas as idades, o LEME surge com a vontade de criar uma plataforma de contacto entre os criadores portugueses e a massa crítica internacional, respondendo aos desejos de um setor em manifesta evolução. Por um lado, o festival pretende representar um espaço de oportunidade para a criação artística contemporânea portuguesa nestes domínios, por outro promove o contraponto e o encontro com as tendências internacionais, oferecendo ao público uma programação ousada e plena de novidade.

 

O LEME é oficialmente apresentado no dia 2 de dezembro de 2017, na Casa da Cultura de Ílhavo, com um programa abrangente e aberto a todos, que inclui uma oficina, uma conversa e três espetáculos, que pretende mostrar o festival ao público e, simultaneamente, lançar o desafio à comunidade artística nacional para uma participação ativa num projeto envolvente e gerador de oportunidades.

 

Programa:

10:00 - 12:00 - ADN - Artistic Development Nucleus | Oficina de Experimentação de Novo Circo / Foyer

14:00 - 15:00 - ADN - Artistic Development Nucleus | Oficina de Experimentação de Novo Circo / Foyer

15:00 - SÓ | SÓMENTE [PT/DE] / Foyer

15:30 - Apresentação LEME / Galeria de Exposições

16:00 - Conversa “Desafios na Criação Artística para o Circo Contemporâneo” / Galeria de Exposições

18:00 - Joa Gouveia | LICIUM [PT] / Subpalco

21:30 - La Trócola Circ | Emportats [ES] / Auditório

A promotora Dedos Bionicos comemora 10 anos de vida com 10 concertos em Bragança

A promotora Brigantina vai assinalar o seu 10.º aniversário com um ciclo de 10 concertos a acontecer até ao final do ano. Todos os fins-de-semana são ocupados com música e fazem parte do ciclo de concertos o free jazz de Rodrigo Amado Motion Trio e Chain, a pop prometedora cantada em Português dos Cassete Pirata e de Chinaskee & os Camponeses, a eletrónica sonhadora de Surma, a viagem interior do Homem em Catarse, a fusão pós-rock/jazz dos Galo Cant’às Duas, o experimentalismo dos The Orb, a electro-pop tímida de Veer ou o Suf-rock de O Bom, O Mau e o Azevedo.

_PHM8061 (Cópia).jpg

photo: Paulo Homem de Melo

 

Os concertos acontecem em vários locais do centro da cidade de Bragança

 

Resistindo desde sempre sem apoios financeiros, municipais ou de qualquer outro âmbito, a promotora independente cumpre uma década de existência. Sem se filiar a um só género a Dedo Bionicos colocou a tocar em Bragança e Trás-os-Montes nomes incontornáveis da música como Calvin Johnson, Mike Watt, Glenn Jones, Ian Svenonius, Laetitia Sadier, Carla Bozulich, Peter Broderick, Steve Gunn, Norberto Lobo ou Matt Elliott, e bandas tão influentes como os Moon Duo, Altar of Plagues, Nadja, Motorama, Girls Names, The Underground Youth, Triangulo de Amor Bizarro ou Enablers.

 

Em 10 anos foram mais de 400 concertos e duas mãos cheias de festivais que resumem a filosofia da promotora brigantina que aposta no ecletismo musical que visa destabilizar convenções e impor a descoberta.

Teresa Salgueiro apresenta novo Vídeo…

O vídeo do tema “A Cidade” de Teresa Salgueiro foi filmado parcialmente em São Paulo e é apresentado no momento que a artista prepara o concerto de dia 18 de Novembro, na Aula Magna, às 21h30. O concerto O Horizonte e a Memória irá decorrer num cenário envolvente e íntimo onde Teresa Salgueiro nos apresentará um breviário de canções representativas da melhor tradição musical portuguesa.

AF_TS_Flyer_A5+3mmBleed

Tendo como fio condutor o seu próprio repertório desde "O Mistério" ao recém editado "O Horizonte", a autora interpreta também os mais conhecidos temas dos Madredeus, prestando ainda homenagem a Amália Rodrigues, José Afonso, Carlos Paredes, entre outros. Irá transportar-nos assim a um universo que nos é próximo e simultaneamente surpreendente.

A voz que há três décadas canta Portugal e encanta o mundo, eleva-nos com o seu estilo único e inconfundível, através da poesia e da música, num Espectáculo que é uma reflexão sobre o que é ser humano e onde habilmente se entrelaça o presente, o passado e o futuro.

 

Teresa Salgueiro refere que “o conceito que suporta este novo Espectáculo se cristaliza na relação estreita e indivisível entre o Horizonte e a Memória que nos impele e simultaneamente nos ampara”.

A Orquestra Fina apresenta no Plano B “Valsa Torta”

A Orquestra Fina aparece como um penso rápido, ou, melhor ainda, como uma tatuagem que tapa e resolve uma minha vontade e necessidade iminente de usar a voz, o instrumento primordial, juntamente com a nossa língua mãe e assim dar forma, esqueleto e cabelo às minhas canções de agora, e não tão de agora.

12cd1b48-4717-4979-8210-f0e91741b6ce

Tal qual a própria palavra, que num caso pode significar a descrição da volumetria da cintura de uma bailarina e noutro simplesmente adjectivar aquele ou aquela que levanta o dedo enquanto segura a xícara do chá. Se dita com uma certa ironia pode até significar exactamente o contrário, e, com outro acento e entoação, também serve para descrever o vigarista de esquina ou o chico-esperto do lado.
A orquestra fina é isto tudo. Muitos mundos num só. É este jogo dos vários significados da mesma palavra ou do mesmo grupo de três notas musicais.
É, no meu pensamento e desejo, uma celebração e contributo para essa bebida tão espirituosa, humanista e reconfortante que já tantos músicos e poetas tão bem destilaram

 

Plano B (Porto)

17 de Novembro 2017 | 22.30h

Black Bombaim em residência para construírem novo disco

Arranca em Dezembro o processo de criação que irá resultar no novo disco dos Black Bombaim, a ser editado, via Lovers & Lollypops, no segundo semestre de 2018. Um ano após a edição do longa duração colaborativo com Peter Brötzmann, o trio juntar-se-á a três músicos e produtores nacionais num ciclo de residências artísticas que reinventa o processo criativo da banda. Jonathan Saldanha (HHY & The Macumbas), Pedro Augusto (Ghuna X) e Luís Fernandes (peixe : avião) responderam afirmativamente ao desafio lançado pelos Black Bombaim para desenvolverem uma peça original a ser interpretada, em conjunto, pelo compositor e pela banda.

bb

Desconstruindo o habitual processo de criação, os Black Bombaim entregam assim a composição musical a três figuras da música exploratória portuguesa, num processo a ser concluído em três residências artísticas distintas. O projecto, que integrará ainda a edição de um documentário, conta com o financiamento do Criatório, uma iniciativa da Câmara Municipal do Porto destinada ao apoio à criação artística contemporânea.

 

A composição a três tempos arranca já em Dezembro, com o encontro entre os Black Bombaim e o universo de Pedro Augusto, onde os timbres adquirem tonalidades e formas novas assim revelando novas perspectivas em motivos dadaísta e texturas estimulantes. Músico e compositor nos projectos Ghuna X e Live Low, Pedro Augusto tem também conduzido um largo percurso na composição de bandas sonoras nas áreas de dança contemporânea, teatro e cinema, colaborando com nomes como Ana Rocha, André Gil Mata, Ana Borralho, João Galante, entre outros.

 

A residência culminará com uma apresentação pública do trabalho, em formato ensaio aberto, a 16 de Dezembro no Círculo Católico e Operário do Porto (CCOP). A entrada será livre. As sessões com Jonathan Saldanha e Luís Fernandes terão lugar Janeiro e Fevereiro, respectivamente, e ocuparão outros espaços icónicos da cidade Invicta. O projecto será documentado por um filme-ensaio sobre a criação musical e a sua relação com a paisagem enquanto espaço de criação de mitologias e de somatização de fantasmas. Esta operação fílmica e sonora, realizada por Miguel Filgueiras com argumento de Manuel Neto, responderá à forma de uma trilogia, que será também a trilogia musical composta pela banda Black Bombaim em processo de trabalho com três compositores distintos: Ruína e Memória | Espaço Sideral | Mundo.

 

 

Queens Of The Stone Age… a segunda confirmação do NOS Alive’18

O NOS Alive acaba de confirmar os Queens Of The Stone Age para o dia 13 de julho no Palco NOS. Esta que é hoje uma das maiores bandas de rock de sempre junta-se ao cartaz do festival no mesmo dia dos já anunciados The National.

14867141480_7d8ccc395a_o

Queens Of The Stone Age, a banda de Josh Homme, que conta hoje com uma carreira de mais de vinte anos e colaborações com alguns dos mais cobiçados nomes pesados do rock como Dave Grohl, Mark Lanegan, Alex Turner, entre outros, vem a Portugal para apresentar em primeira-mão o mais recente álbum de originais “Villains”.

“Comédia por Uma Causa Séria” doa 12 mil euros à Liga Portuguesa Contra o Cancro

Lotação esgotada foi o resultado da 8ª edição do ‘Comédia por uma Causa Séria, que após esgotar os bilhetes em apenas três dias, encheu o Grande Auditório do Centro Cultural de Belém (CCB) de humor, magia e espírito solidário com um espetáculo que possibilitou à Pfizer Oncology doar 12.000 euros à Liga Portuguesa Contra o Cancro. Desde 2010, ano em que foi criada a iniciativa, já foram doados cerca de 120 mil euros. Aldo Lima e Hélder Guimarães atuaram num palco partilhado com Jorge Gabriel, embaixador ‘Comédia por uma Causa Séria’, desde 2016.

image011

O ‘Comédia por uma Causa Séria é um projeto pioneiro da Pfizer Oncology, que viu no humor uma forma de envolver a sociedade civil, sensibilizando-a a contribuir para esta causa. Desde 2010 que o seu propósito é alertar e sensibilizar a opinião pública para as doenças oncológicas em todas as suas formas, continuando a reforçar a importância dos comportamentos preventivos e do diagnóstico precoce. Através de um evento gratuito aberto ao público, por cada presença, a Pfizer Oncology voltou a oferecer um donativo no valor de 10 euros à Liga Portuguesa contra o Cancro, entidade que muito tem contribuído para o esclarecimento e apoio aos doentes oncológicos e familiares em Portugal.

Depois de nas edições anteriores ter esgotado salas emblemáticas como o Tivoli ou o Coliseu dos Recreios, foi a vez do Grande Auditório do CCB se encher com o conhecido espírito solidário dos portugueses.

Jorge Gabriel o anfitriao

Hélder Guimarães, o maior nome da magia da atualidade, sendo o único português a entrar na exclusiva lista de Campeões Mundiais de Magia, e Aldo Lima, um dos humoristas de stand up mais consagrados do país, proporcionaram uma noite de humor única, numa iniciativa por onde já passaram nomes como: ‘Comédia a La Carte’, Nilton, Bruno Nogueira, Salvador Martinha, ‘The Boy with tape on his face’, Marco Horácio, Eduardo Madeira, Luís Franco Bastos ou Pedro Tochas.

Aldo Lima6

O ‘Comédia por uma Causa Séria’ é uma iniciativa da Pfizer Oncology apoiada pela Associação Portuguesa de Urologia, Grupo Português Génito-Urinário, Grupo de Estudos do Cancro do Pulmão, Grupo de Investigação do Cancro Digestivo, Grupo de Estudos de Tumores Neuroendócrinos, Intergrupo Português do Melanoma, Sociedade Portuguesa de Senologia e a Sociedade Portuguesa de Oncologia.