Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

To All My Friends em digressão

Formados em 2015 na cidade de Setúbal, os To All My Friends nasceram com base na amizade entre os membros da banda e uma das coisas que os une é o amor pela música. Influenciados por nomes como New Found Glory, Neck Deep ou State Champs, o som da banda Pop-Punk sadina é refrescante no actual panorama nacional.

sem nome (12)

Após um ano e meio a ganhar "rodagem" ao vivo, de onde se destacam as passagens por festivais como o Casainhos Fest, o Bardoada&Ajcoi, o Infected Fest ou a Feira de Santiago, participação no festival/conferência Tomorrow Comes Today com um showcase acústico e primeiras partes de nomes como os norte-americanos Nothington ou os holandeses Antillectual, os To All My Friends lançam em Outubro de 2017 o disco de estreia "Head Above Water". Acordes rápidos, vozes melódicas, músicas catchy e cheias de força são características presentes ao longo dos 11 temas.

Depois da apresentação do disco ao vivo com casa cheia na cidade natal, os To All My Friends partem para a estrada para uma série de datas onde vão mostrar a energia positiva e contagiante com que brindam o público em cada concerto. Vão conhecê-los e surpreendam-se!

 

O novo álbum "Head Above Water" já está disponível em CD e formato digital no Spotify, Apple Music e outras plataformas.

D3O de Coimbra para o Sabotage….

Os D3O (the trio) nasceram em 2002, em Coimbra, das cinzas dos Tédio Boys. Estrearam-se ao vivo na 1ª parte dos Parkinsons (banda doutro ex-Tédio Boys, Vitor Torpedo) num concerto no Le Son em Coimbra. Dia 15 de Dezembro apresentam no Sabotage Club “Exposed”.

d30

Toni Fortuna (voz e guitarra, ex-Tédio Boys), Tó Rui (guitarra, ex-Garbage Catz) e Miguel Benedito (bateria, ex-Garbage Catz) depois de editarem “SixPackTrack” (2003), “8 Tracks On Red” (2004) concluíram em 2005 com “7 Heartbeat Tracks” (produzido por Paulo Miranda - Unplayable Sofa Guitar, Old Jerusalem, Legendary Tigerman), o projecto inicial: um trio / três EPs.

 

Em 2008, "The Box", compilou numa luxuosa caixa de madeira (limitada a 100 exemplares individualmente numerados e apenas disponível nos concertos e sites da banda) esses 3 trabalhos, e acrescentou um CDsingle promocional com os novos temas “Take This Love From Me” (com a participação de Raquel Ralha dos Wraygunn/Belle Chase Hotel/Azemblas Quartet) e “Junior Daddy”. Simultaneamente, a editora inglesa Dirty Water Records colocou no mercado mundial, um single em vinil 7”, com os temas “Wanna Hold You” e” Go”.

 

Depois de um ano cheio de concertos, que incluíram passagens pelo Coliseu dos Recreios (na 1ª parte de Bloc Party), o Festival Alive, a alucinante noite com Mudhoney, novas incursões por Espanha e Inglaterra (Manchester, Sheffield e Londres), Tony Fortuna e companhia começaram o ano de 2008 com a "Box Tour". Depois de gravarem uma sessão "3 Pistas" para o programa 'Portugália' da Antena 3, que incluiu uma versão acústica de "Rehab" de Amy Winehouse, os D3O gravaram o álbum estreia, “Exposed”, produzido pelo holandês Wout Straatman (o mesmo de 'Farewell' - Sean Riley & The Slowriders) e editado em 2009.

 

No início de 2012, os D3O concluíram as gravações de novo álbum de originais, “Love Binder”, ainda com Miguel Benedito na bateria, entretanto emigrado para o Canadá. Nito, ex-companheiro de Tony Fortuna nos míticos M’as Foice, foi o escolhido para substituir Miguel Benedito na bateria. “Love Binder” foi editado no dia 2 de Setembro de 2013 e os D3O regressam ao seu habitat natural, o palco, com uma digressão extensa de 3 anos.

 

Em 2016 gravaram uma versão do clássico “I Put A Spell On You” de Screamin’ Jay Hawkins para a compilação “Sons Of Chaputa!” e uma sessão para o programa “Cover de Bruxelas” da Rádio Universidade de Coimbra com versões de “Human Fly” (Cramps) "He's Waiting" (Sonics) e "Sea Of Love" (Phil Philips With The Twilights).

 

Em Junho de 2017, iniciaram as gravações de novo longa duração ainda com Nito na bateria, mas desta vez, foi Nito que emigrou para a Bulgária e o regressado Miguel Benedito assumiu novamente o lugar original. Dia 9 de Novembro de 2017, no Festival Lux Interior, foi lançada a edição em vinil de “Exposed” que será apresentada no Sabotage.

Começam amanhã as celebrações do 11º Aniversário do MUSICBOX Lisboa

De 7 a 9 de Dezembro, o MUSICBOX Lisboa celebra o seu 11º aniversário com uma programação que destaca a produção musical lusófona.

f57a20a3-b803-4b76-b425-054aec4d75ef

No dia 7 de Dezembro, uma sessão de entrada livre junta Mr. Gallini, o quarteto punk rock lo-fi Veenho, First Breath After Coma e Iguana Garcia, projecto electro-pop de um homem só.

A 8 de Dezembro, B Fachada canta Zeca Afonso, espectáculo que apresenta pela primeira vez em Lisboa, seguindo-se uma sessão dedicada aos ritmos cabo-verdianos com Julinho da Concertina e CelesteMariposa.

No último dia do nosso aniversário, Duquesa, Cave Story e Ra-Fa-El partilham o mesmo palco para um concerto onde interpretarão temas de cada um dos grupos. O encerramento fica entregue ao colectivo de dj's e músicos Electric Rainbow, que faz a sua estreia trazendo o DJ Rythme de Vie (Bongo Joe) como convidado.

 

Ao longo destes 11 anos, o MUSICBOX tem vindo a fortalecer a sua filosofia de actuação que privilegia uma programação eclética, por onde já passaram mais de 2000 artistas nacionais e internacionais, mantendo um papel activo em diversos projectos europeus que dão destaque ao circuito destes artistas.

 

7 de Dezembro

21h30 Mr. Gallini + Veenho + First Breath After Coma + Iguana Garcia

 

8 de Dezembro

22h30 B Fachada canta Zeca Afonso

00h30 Julinho da Concertina + CelesteMariposa

 

9 de Dezembro

22h30 Cave Story + Duquesa + Ra-Fa-El

00h30 Electric Rainbow feat. dj guest Rythme de Vie (Bongo Joe)  

 

Jorge Palma apresenta “Só Ao Vivo” na porta principal dos Armazéns do Chiado

Para assinalar a edição de “SÓ ao vivo”, Jorge Palma realizará no próximo dia 15 de Dezembro, sexta-feira, pelas 18 horas, um concerto aberto à cidade de Lisboa na porta principal dos Armazéns do Chiado. Após o mini-concerto de rua, que conta com a colaboração dos Armazéns do Chiado e da Fnac, Jorge Palma fará uma sessão de autógrafos no fórum da loja FNAC do Chiado.

untitled

Editado a 1 de Dezembro, “SÓ ao vivo” foi gravado em 2016 nos concertos de comemoração dos 25 anos do álbum “”, no qual encontramos muitos dos seus temas mais emblemáticos, como “Bairro do Amor”, “Frágil”, “Deixa-me Rir”, “Estrela do Mar”, entre outros. No formato físico, além do CD, “SÓ ao vivo” inclui um DVD com temas ao vivo e apontamento documental.

 

O CD inclui os temas da edição original de “”,  à excepção de “Jeremias o fora da lei”,  a que se juntam “O lado errado da noite”, “Passos em volta” e uma versão de “Avec le temps” de Leo Ferré. O DVD apresenta 7 temas gravados nos referidos espectáculos, em que além de repertório de Jorge Palma encontramos as versões de “Avec le temps” e “Bird on the wire”, esta última de Leonard Cohen.

 

Destaque ainda para o facto do novo álbum ser editado no ano em que se assinalam os 45 anos de carreira de Jorge Palma

Mazgani leva “The Poet’s Death” à Casa da Cultura de Ílhavo

A Casa da Cultura de Ílhavo é um dos primeiros auditórios a receber o novo disco de Mazgani. “The Poet’s Death” é o sucessor de “Lifeboat” e dá os primeiros passos ao vivo em território nacional. O poeta vivo José Tolentino Mendonça, que dedicou uma ode a este “The Poet’s Death” que lhe serve de convite, garante que este é um “disco pop, claro, mas um livro de preces, um ritual a ser praticado, (...) o apelo sedento dos amantes no escuro, um manifesto político sobre a natureza da arte e uma declaração de amor interminável”.

mazgani.jpg

Além disso, Tolentino Mendonça ergue Mazgani ao pedestal de “o grande cantor da sua geração”.

“The Poet’s Death” foi co-produzido por Mazgani e Peixe (Ornatos Violeta), que leva a Ílhavo a sua contribuição na guitarra e nas teclas, e contou ainda com Victor Coimbra no baixo e Isaac Achega na bateria.

 

O concerto de apresentação é na Casa da Cultura de Ílhavo, no próximo sábado, 9 de Dezembro

 

photo: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

Festival Montepio às vezes o amor regressa nos dias 10 e 14 de Fevereiro de 2018

“Montepio às vezes o amor” acontece nos dias 10 e 14 de Fevereiro em 12 cidades, de norte a sul do País, com 12 concertos especiais da melhor música portuguesa. Resistência, Mafalda Veiga, Diogo Piçarra, Os Azeitonas, Luísa Sobral, Sara Tavares, HMB, Deixem o Pimba em Paz (com Bruno Nogueira e Manuela Azevedo), Amor Electro, Tiago Bettencourt e Raquel Tavares são os nomes anunciados com a missão de aquecer os palcos e os corações nesta época de São Valentim com as suas emblemáticas canções.

a478fafa-f16e-4d94-9f94-17d50f7f07c5

Depois de esgotados todos os concertos nas edições anteriores, na 4ª edição, o Festival de Música do Dia dos Namorados regressa à histórica cidade de Évora mantendo as já conhecidas capitais do amor: Aveiro, Beja, Castelo Branco, Faro, Leiria, Lisboa, Porto, Viana do Castelo e Vila do Conde que recebem o festival mais uma vez.

Em 2018 todos os corações apaixonados vão poder celebrar mais uma vez o Dia de São Valentim em algumas das mais belas cidades portuguesas.

 

10 de Fevereiro 2018

- Centro Cultural de Viana do Castelo - Os Azeitonas

- Teatro Garcia de Resende (Evora) - Raquel Tavares

- Pax Julia Teatro Municipal (Beja) - Mafalda Veiga

- Centro de Congressos do Arade (Lagoa) - Diogo Piçarra

- Cine-Teatro Neiva (Teatro Municipal Vila do Conde) - Luisa Sobral

 

14 de Fevereiro 2018

- Praça de Touros do Campo Pequeno - Amor Electro

- Teatro das Figuras (Faro) - Sara Tavares

- Coliseu (Porto) - Resistência

- Cine-Teatro Avenida (Castelo Branco) - Deixem o Pimba em Paz

- Teatro Aveirense - Tiago Bettencourt

- Teatro José Lúcio da Silva (Leiria) - HMB

 

Agora só tem que escolher os concertos onde quer levar a sua cara metade!

Gonçalo com novo vídeo para “Lorosae”… do disco “Boavista”

Há pessoas e coisas estanques, com receio ou incapazes de mudar, incolores e sem vida aparente. “Boavista” é a antítese de tudo isso. É a luz matinal e a comunhão que daí advém; a noite e a sua solidão e introspeção; são memórias de sempre cruzadas com o viver do presente; é a constante mutação e a prova de que devemos experimentar ser tudo para realmente ser algo.

DSC09084_preview

O normal seria redigir uma tão habitual lista de influências para enclausurar Gonçalo. Más notícias para os que se ajeitam nestes caminhos: quem ouve este disco desistirá desse exercício pelo suceder das músicas em catadupa ao pisarem universos tão díspares acabando por confundir os devotos.

Há quem sonhe mudar o mundo e há quem sonhe mudar o seu. “Boavista” alcança-o com graciosidade.

Boavista” é a primeira incursão longa duração de Gonçalo, longe dos seus Long Way to Alaska. Sucede a “QUIM”, o EP do bracarense lançado em 2014 pela Lovers & Lollypops. O disco chega após uma recente participação com Castello Branco, com o nome de "Mar Nenhum", colaboração proposta e promovida pela webzine Bodyspace, com participações entre músicos lusófonos.

 

Editado dia 17 de Novembro pela Lovers & Lollypops, “Boavista” foi gravado e produzido por Gonçalo e João Moreira e conta a participação de André Simão (La La La Ressonance), Filipe Azevedo (Sensible Soccers), João Moreira, João Pereira (Guilty Ones), Jorge Queijo (Torto), Pedro Oliveira (peixe : avião)  Sérgio Alves (Marta Ren).

French Montana… A primeira confirmação do Sumol Summer Fest

O verão deixa de ser apenas uma miragem no dia em que se sabe mais sobre a próxima edição do Sumol Summer Fest. O festival regressa ao Ericeira Camping em 2018, nos dias 6 e 7 de julho, mesmo a tempo de celebrar o início das férias. Quanto à música, continua a ser imprescindível, e o hip-hop de French Montana é a primeira garantia de que a festa vai ser inesquecível.

20170510_FRENCH_MONTANA_SHOT06_0096-1366x911

Karim Kharbouch é French Montana para o mundo da música. O rapper nasceu em Rabat, Marrocos, e emigrou com a família para os Estados Unidos quando tinha 13 anos de idade. A transição não foi fácil e as dificuldades económicas deram-lhe o nervo necessário para não desistir dos seus sonhos e para vencer na música. As battles na rua foram a escola de French, o rapaz que viria a ser, mais tarde, fundador e CEO da editora “Cocaine City Records”.

 

Em 2007 editou a mixtape “French Revolution Vol. 1”. A faixa "Quarter to Eight" foi a primeira de muitas colaborações com o rapper Rick Ross. Mas seguiram-se muitas mais colaborações e mais mixtapes – já são mais de vinte e duas, autênticos testemunhos da força criativa de French Montana. O primeiro disco, “Excuse My French”, chegou em 2013. Esta estreia foi um sucesso imediato, alcançando o quarto lugar do US Billboard 200. O disco conta com as participações de nomes como Nicki Minaj, Drake, Lil Wayne, The Weeknd, Snoop Dogg, entre muitos outros.

 

E a lista de convidados do último disco, “Jungle Rules”, editado em julho de 2017, não é menos impressionante: Future, Travis Scott, Pharrell Williams e Max B são apenas uma amostra de todo o talento que se pode encontrar neste último trabalho do rapper. As suas raízes marroquinas trazem alguns elementos árabes à música que faz, o que é um traço distintivo dos inúmeros hits que vai lançando.

 

 

Carlos Marin, dos Il Divo, regressa a Portugal desta vez a solo

O baritono espanhol do quarteto Il Divo atua a solo, no dia 24 de Fevereiro no Casino Estoril. Um concerto intimista que dará a oportunidade aos seus inúmeros fãs de conhecerem pela primeira vez o seu trabalho a solo. Carlos Marin, o prodígio da música clássica espanhola, começou cedo a sua carreira, ao gravar o seu primeiro album aos 8 anos de idade. Neste disco chamado The Little Caruso cantava temas como "O Sole Mio" e "Granada".

CM_18_600x280_news

Ganhou vários prémios em Espanha entre os 15 e os 20 anos em inúmeros concursos e programas de televisão, onde cantava acompanhado de orquestra. Ao longo da sua carreira ganhou uma importante reputação como performer em diversos estilos e sempre com excelentes críticas. Em Dezembro de 2003 tornou-se membro do quarteto Il Divo, que forma com o suíço Urs Bühler, o francês Sébastien Izambard e o americano David Miller.

 

Juntos editaram o primeiro album em 2004, e venderam 5 milhões de cópias no primeiro ano. Além dos Il Divo, apresentou-se em diversos musicais e óperas e participou em filmes de animação, como a versão espanhola de Cinderela.

 

O sucesso mundial do quarteto estende-se a Portugal, onde esgotaram por inúmeras vezes o MEO Arena. Carlos Marin regressa a Portugal, pela primeira vez a solo, para um concerto inédito e exclusivo, dia 24 de Fevereiro no Casino do Estoril.

João Pedro Pais esgota concerto na Casa da Música e anuncia nova data

João Pedro Pais faz 20 anos de carreira e está a comemorar com um novo disco e concertos com o apoio RFM. Depois de esgotar o Centro Cultural Olga Cadaval em Novembro e a Casa da Música no próximo dia 3 de Março, João Pedro Pais anuncia novo concerto na sala portuense a 4 de Março de 2018.

Print

Com um espectáculo cuidadosamente preparado para assinalar estes eventos, o músico irá partilhar com os fãs uma vida dedicada à música, com a sua energia contagiante  - um concerto recheado de grandes canções que nos prende do primeiro ao último acorde, revelando a maturidade de um compositor a superar novos desafios.

 

Em palco, João Pedro Pais contará com a formação que o tem acompanhado nos últimos anos: João Pedro Pais (voz e guitarra), Rui Almeida (piano), Fernando Tavares (bateria/percussão), Sérgio Mendes (guitarra) e Donovan Bettencourt (baixo).

Nuno Cardoso partilha memórias com o público

Depois de “Náufrago” e “Subterrâneo”, Nuno Cardoso leva a Guimarães “Apeadeiro”, espetáculo que encerra a trilogia e que se assume como o mais autobiográfico de todos. “O meu corpo é a minha terra, e a minha terra é o meu corpo”. É a partir desta frase que Nuno Cardoso se confronta com a vila que o viu nascer, o seu passado e o seu percurso como ator e encenador, pondo-se a si em evidência. A peça sobe ao palco do Centro Cultural Vila Flor esta sexta-feira, 8 de Dezembro.

339_jose caldeira

Em “Apeadeiro”, Nuno Cardoso encerra uma viagem interior pelo seu próprio percurso de vida, tomando como território referencial a vila onde nasceu e cresceu, Canas de Senhorim, e tendo como pressuposto fundador e repto para a criação a frase “o meu corpo é a minha terra, a minha terra é o meu corpo”. Com esta frase inicia-se a busca de um lugar de criação fundado na memória corporal, no gesto que ficou como marca distintiva de personalidade e que está inextricavelmente ligado ao contexto social e geográfico que o forjou. Surge, assim, uma obra que é simultaneamente território de celebração e de mediação entre um imaginário original residente na memória e um universo presente quotidianamente urbano.

405_jose caldeira

Este espetáculo não pretende ser uma criação sobre Canas de Senhorim real, mas antes a anatomia de uma identidade que Nuno Cardoso tem transportado na sua prática enquanto criador. É, no entanto, a paragem desta trilogia que convoca a noção de autobiografia, não projetando sobre textos de outrem o ponto de partida da criação.

481_jose caldeira

Apeadeiro” tem a particularidade de ser uma obra construída no desejo de habitar uma linguagem a que Nuno Cardoso não acede habitualmente, de habitar um espaço de criação distante de qualquer zona de conforto – ou seja, distante da palavra, da teatralidade – para construir uma nova gramática. “Apeadeiro” é coproduzido pelo Centro Cultural Vila Flor, pelo Teatro Municipal do Porto e pelo Centro de Artes de Ovar.

 

Fotografias: José Caldeira

Carolina Deslandes… Sessões de Lisboa e Porto esgotaram em menos de 24 horas

Depois de esgotar todas as sessões no Porto e em Lisboa - Eu e Ele a história de amor cantada ao vivo, anuncia novas datas em Lisboa no dia 29 e 30 de Dezembro, às 21.30.

Um amor para a vida toda que Carolina Deslandes e Diogo Clemente prometem desvendar através da música.

carolinadeslandes_eueele

A voz dela e a guitarra dele juntam-se para mais noites cheias de cumplicidade, onde não vão faltar as canções que compõem a banda sonora deste romance e os sucessos de Carolina Deslandes inspirados na relação que começou a dois, mas que acabou por se transformar na maior aventura de todas — a de criar uma família.

 

E porque o amor liga pouco a fronteiras, estão prometidos, até Março, mais espectáculos pelo país. Fique atento às datas se quer fazer parte desta história de amor.

 

Lisboa / Livraria Ferin - 22, 23, 27 e 28 de Dezembro - ESGOTADO

Novas datas - 29 e 30 de Dezembro

 

Porto / The Passenger Hostel - 18, 19, 20 e 21 de Dezembro - ESGOTADO

Rhys Lewis estreia-se em Portugal em nome próprio

Depois de em Outubro ter feito a primeira parte de James TW em Portugal, Rhys Lewis estreia-se agora em nome próprio no nosso país, com um concerto agendado para dia 14 de Abril, no Cineteatro Capitólio, em Lisboa.

foto

A data marca o arranque da tour europeia de apresentação do seu álbum de estreia, que tem edição prevista para o início de 2018. Um registo altamente autobiográfico que, a espaços, assume uma toada confessional e do qual o músico diz estar muito orgulhoso.

Uma voz com a personalidade de Rhys Lewis só aparece de tempos a tempos, facto a que não é alheio o sucesso alcançado em 2016 mal lançou o single de estreia, “Waking Up Without You”, que de imediato atingiu o n.º 1 do top viral do Spotify e lhe valeu um ano cheio de concertos.

Num registo Soul rouco e aveludado, o jovem cantautor londrino com um twist old school assume a herança de influências como Al Green, Marvin Gaye, James Taylor ou The Temptations e diz que só quer que a sua música seja autêntica e genuina.

 

Os bilhetes serão colocados à venda sexta-feira, 08 de Dezembro, nos locais habituais.

CAPRICHO #2 | Outra Coisa

Capricho #2, Outra Coisa, explora a possibilidade de se fazer porque se pode, por um imperativo de investigação curiosa que se assemelha ao da infância. Um mantra feito de paradoxos cruzados com práticas concretas no estúdio, o lugar/máquina de pensamento coreográfico por defeito. Partindo de um espaço, um tempo, e de acções concretas, duas pessoas compõem a “coisa” que partilham com o público, num processo que vai ficando preso nas superfícies da pele, dos tecidos, nos intervalos entre apanhar o sol da maquinaria de cena, como no “prelúdio à sesta de um fauno”, e o rasgar da cor que os cobre conquistando um outro corpo. Não um corpo nu de quem se despe, mas de quem se instrumenta em lugar de se esconder.

Capricho_artigo_11.11.2017_ass-1170x836

Capricho #2, Outra Coisa, é o segundo capricho de uma série de trabalhos relacionados com uma mesma questão geral…

Como lidar com os caprichos de um corpo, como activar um pensamento de dança, hoje?”.

 

co-coreografia e imaginação: Sílvia Pinto Coelho, Daniel Pizamiglio

colaboração artística, luz e som: Tiago Gandra

 

Rua das Gaivotas 6 (Lisboa)

8 a 10 de Dezembro 2017 | 21.30h

 

photo: Téo Pitella

Aluno da Católica Porto distinguido com prémio internacional na área da música eletrónica

Maurilio Cacciatore, aluno do Doutoramento em Ciência e Tecnologia das Artes da Escola das Artes da Católica Porto, acaba de ser distinguido com o galardão Giga-Hertz Production Prizes 2017, um dos mais relevantes prémios na área da música eletrónica. A composição “Jardins de Fabrique” garantiu a distinção atribuída pelo instituto alemão ZKM – Center for Art and Media e pelo SWR Experimentalstudio. Além do prémio monetário, o galardão representa a oportunidade de realizar uma obra artística num dos estúdios ZKM.

1257223693

O prémio Giga-Hertz Production Prizes destina-se a promover o trabalho de jovens compositores de música eletrónica e acústica, sendo atribuído desde 2007. A composição premiada de Maurilio Cacciatore está disponível aqui

A cerimónia de entrega do prémio decorreu em Karlsruhe, na Alemanha.

Luís Represas junta se à Cruz Vermelha Portuguesa como Embaixador do Xmas Creative Market

As marcas presentes no evento estão a contribuir para as actividades sociais da delegação de Lisboa da Cruz Vermelha Portuguesa. A Cruz Vermelha nasce da preocupação de prevenir e aliviar o sofrimento humano, em todas as circunstâncias; de proteger a vida e a saúde; de promover o respeito pela pessoa humana; de favorecer a compreensão, a cooperação e a paz duradoura entre os povos. O músico Luís Represas junta-se a esta nobre causa

2lyust8mpc7e

A Cruz Vermelha não distingue nacionalidades, raças, condições sociais, credos religiosos ou políticos, empenhando-se exclusivamente em socorrer todos os indivíduos na medida dos seus sofrimentos e da urgência das suas necessidades, sem qualquer espécie de discriminação.

Dias 8, 9 e 10 de Dezembro o Pátio da Galé acolhe as melhores marcas nacionais com produtos 100% originais. Encontro marcado por criadores e produtores que primam pela qualidade numa primorosa descoberta nas mais diversas categorias e tipologias de produtos de autor.

 

photo: Rita Carmo

“Caso Sócrates - O Julgamento do Regime” de Felícia Cabrita e Joaquim Vieira

“Mesmo trajando informalmente, a sua elegante silhueta não passa despercebida no aeroporto parisiense Charles de Gaulle. Em novembro, o tempo começara a ficar severo. Com o seu velho dólmen azul-escuro, calças desportivas e um único saco de mão como bagagem, percorre uma das alas do Airbus A319 da Air France até chegar à antepenúltima fila. Senta-se no lugar 23C, na coxia do lado esquerdo. Aconchega-se, claramente incomodado com o exíguo espaço que não lhe permite esticar as pernas. Habituado a viajar em classe executiva, o assento em turística apenas lhe promete duas horas de desconforto. E ele precisa de descansar, de refletir, para se preparar para o embate. Desenhará mentalmente os muitos cenários que estarão a aguardá-lo ao desembarcar em Lisboa – destino daquele voo com o código AF1124 –, e nenhum deles lhe parece promissor.”

untitled

O primeiro parágrafo do livro “Caso Sócrates”, de Felícia Cabrita e Joaquim Vieira, mostra o tom e revela o teor do que podemos encontrar nas 470 páginas que resultam da rigorosa investigação que os autores fizeram de tudo o que culminou num facto sem precedentes em Portugal: a detenção de um ex-primeiro-ministro.

 

“Com base em fontes conhecedoras dos autos, idóneas e fidedignas, este livro procura fazer a narrativa dos factos associados ao lançamento e execução da que ficou conhecida por Operação Marquês – nome dado pelas autoridades ao processo de investigação do aparente enriquecimento de Sócrates, de que resultou a acusação que lhe foi movida pelo Ministério Público, assim como a quase três dezenas de outros arguidos que com ele terão estado ligados ao circuito da distribuição do dinheiro desde a sua origem”.

 

À venda no dia 7 de Dezembro em todas as livrarias / Apresentação 11 de Dezembro

Uma edição A Esfera dos Livros

 

Cenit e Anivec/Apiv promovem conferências de Moda “Design & Sourcing In Europe”

O Cenit – Centro de Inteligência Têxtil, em parceria com a ANIVEC / APIV, promove no próximo dia 12 de dezembro um conjunto de conferências de moda sob o tema “Design & Sourcing in Europe”. As conferências decorrerão no Salão Árabe do Palácio da Bolsa, no Porto, a partir das 14h15, e contarão com a participação de um prestigiado painel de oradores nacionais e internacionais.

untitled

A moda é uma indústria verdadeiramente global, representando uma grande escala de empresas, investimento e criação de emprego em todo o mundo. Uma indústria em permanente mudança, que exige dos seus players constante inovação para responder às exigências do futuro que implica novos valores, novas tecnologias e novas formas de fazer negócio.

 

Design & Sourcing são duas componentes essenciais na indústria, uma vez que são os jovens designers os futuros clientes das empresas portuguesas. Estes fatores estão intrinsecamente ligados, fomentando o crescimento a partir de sinergias entre criatividade e produção; inovação e indústria; educação e emprego. É por isso urgente promover o diálogo entre os jovens designers e o mercado de trabalho.

 

As inscrições nas conferências são gratuitas e podem ser submetidas aqui: