Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Livros… “A Corporação Invisível” de Luis Sítima e Hugo V. Costa

A “A Corporação Invisível” de Luis Sítima e Hugo V. Costa é um thriller passado na City de Londres e que, de forma original, mistura ensinamentos de liderança com uma trama de mistério e ação.

A capital do dinheiro e da finança é o palco deste romance imparável, que revela uma conspiração global e uma sociedade secreta inspirada num código de conduta milenar: os sete pecados capitais. O ponto de partida é o desaparecimento do CEO de uma das maiores farmacêuticas do mundo, o mais recente numa leva de inexplicáveis desaparecimentos de figuras de topo na City de Londres.

a-corporação-invisivel.jpgO livro é inspirado num modelo de gestão e liderança que um dos autores, Luís Sítima, tem vindo a desenvolver há mais de uma década com líderes dos mais variados sectores de atividade, em Portugal e no estrangeiro. Todo o modelo pode ser apreendido pelo leitor ao longo da trama, o que distancia a obra das restantes publicações do género. Um romance sobre liderança foi o que os autores quiseram fazer.

Com um desfecho imprevisível, “A Corporação Invisível” é um thriller viciante sobre a natureza do comportamento humano e a verdadeira essência do poder.

 

Luís Sitima nasceu em Lisboa em Agosto de 1974. É sócio mundial da consultora de gestão Korn Ferry Hay Group, Diretor Executivo do Hay Group em Portugal e professor convidado na Porto Business School, onde coordena o Programa Avançado de Liderança. Ao longo do seu percurso profissional, destaca-se ter sido membro da Comissão Executiva do Hay Group para a Europa do Sul e professor convidado na Universidade Católica de Lisboa. É autor de vários livros sobre Gestão, Liderança e Mudança e orador frequente em congressos nacionais e internacionais. É licenciado em Administração de Empresas pela Universidade Católica de Lisboa e Mestre em Estratégia pelo ISCTE.

 

Hugo V. Costa nasceu em Lisboa em Abril de 1974. Licenciou-se em Comunicação Social no ISCSP, tendo começado pelo jornalismo nas redações do Diário Económico e do Jornal de Notícias. Foi redator de Turismo e de Publicidade e viveu em Londres, onde integrou a equipa de Marketing e Comunicação da sucursal britânica de um dos maiores bancos asiáticos. Pelo meio, participou como músico e letrista em diversos álbuns de música portuguesa – da pop ao fado – ao lado de nomes como Santos e Pecadores, Viviane, dR. estranhoamor ou dos Líderes da Nova Mensagem, uma das bandas pioneiras do hip-hop em Portugal e da qual fez parte.